Uma busca às sutilezas para construir uma memória olfativa e gustativa que pudesse ser reproduzida no Brasil, mais especificamente em Curitiba. Esse foi o espírito e o principal objetivo da última viagem realizada pelo Chef Yuri Ogurtsova, proprietário do restaurante de comida indiana e tailandesa, Tuk-Tuk. Em maio de 2017, acompanhado de Ruan Kaoan, Yuri desembarcou em Bangkock para uma trip que duraria 27 dias. Ali iniciariam uma aventura cheia de experiências marcantes, que tiveram como cenários de locais descolados da capital tailandesa aos mais afastados dos ambientes turísticos, de comida thai realmente caseira.

vi -1

Curso na Escola Maykaidee da chef Sommay Jaijong
 Os segredos do cotidiano de cada lugar e como isso influencia no sabor, na forma de comer, na forma de degustar, na textura ou na crocância, moram nos detalhes do dia a dia de uma cozinha, seja thai, indiana ou qualquer outra. O conhecimento passado por várias gerações criam um patrimônio imaterial difícil de ser quantificado, de riqueza praticamente infinita. Esse tesouro é que os dois brasileiros foram escavar em terras asiáticas.   “Conversamos com os donos de restaurantes. A ideia não era a alta gastronomia, mas a gastronomia cotidiana , tradicional. Fomos também a restaurantes centenários na Índia e muito modernos na Tailândia. Conversamos com muitos cozinheiros de famílias de cozinheiros, que trabalham há gerações nesta profissão” explica Yuri. Vegetariano, Ruan,que é o atual gerente do Tuk-Tuk e instrutor de Yoga, completa: “fomos de restaurantes de beira de estrada a restaurantes escondidos, voltados para comunidades religiosas veganas em busca de um crescimento interior. Por isso não comem nada de origem animal, nem raízes que são a fonte de vida das plantas”. Para registrar essa aventura, principalmente em território indiano, o Tuk-Tuk produziu uma série de vídeos curtos chamada “Busca Veg”.

vi 2

Ruas de Bangkok. 

Já em território indiano a dupla viajaria para vários locais, cidades ou vilarejos indianos, como Allepey, Fort Kochi, New Delhi, Rishikeshi e a aldeia Jakne, por exemplo.

vi6

Família Sanju, em Fort Kochi, Índia. 

vi 7

Família Beena, em New Delhi.

E o que trouxe de bom?

A busca Veg foi bem sucedida, como conta o chef Yuri: “Fomos atrás de sutilezas como sabores e combinações no prato, pensando alimentação sem carne, no caso da Índia ou sem produto de origem animal, no caso da Tailândia. Os pratos veganos da Tailândia são fantásticos, e a ideia era reforçar a memória gustativa e olfativa. Depois dessa experiência, passamos a usar no Tuk-Tuk mais cogumelos e fomos atrás de alguns ingredientes tailandeses frescos para aproximarmos mais o sabor do nosso curry ao que comemos lá. Fomos a um lugar na Tailândia que preparava uma carne vegana como um prato com sabor de peixe que é temperado com algas, bem interessante. Este prato hoje está no Tuk-Tuk, assim como o tandoori vegetariano com batata recheada de ricota, couve flor e cogumelos que vimos por lá.  Tudo assado no tandoor”.

vii 3

O fantástico curry verde tailandês

A série “Busca Veg” começa a ser disponibilizada novamente na página do Facebook do Restaurante Tuk-Tuk –  Comida Indiana e Tailandesa. Ruan e Yuri não vêem a hora da próxima viagem, que, se tudo der certo, deve acontecer em 2018.

vi 4

Tuk-Tuk tailandês